A proposta de restauração do antigo Paço Arquiepiscopal – construído em 1715 para residência dos arcebispos em Salvador - teve como diretriz principal o resgate de sua espacialidade perdida ao longo dos séculos, e restauração dos elementos artísticos e arquitetônicos componentes deste antigo palacete, adaptando-o ao novo uso – o Memorial dos 500 anos da fundação da primeira Arquidiocese no Brasil.


O Memorial, além de guardar o acervo de cinco séculos de história da Igreja Católica no Brasil contará com biblioteca, museu e laboratórios de restauração de documentos. No subsolo do paço, com vista para a Baía de Todos os Santos, será instalado o ‘Café do Bispo’ e a Loja de lembranças, cujos recursos serão revertidos para manutenção do Memorial.


Este projeto foi desenvolvido com equipe multidisciplinar para captação de recursos pela Lei Rouanet.